Buscar

Dia internacional de luta contra a endometriose



Ainda sem origem definida, a endometriose é uma doença ginecológica crônica e de natureza multifatorial que acomete cerca de 15% das mulheres em idade fértil no mundo todo, segundo a Organização Mundial de saúde (OMS). Devido à sua alta relevância no que tange a saúde pública, o dia 7 de Maio foi escolhido como o “Dia internacional de luta contra a endometriose”. Uma data que busca não apenas celebrar a força daqueles que lutam contra a doença, sejam pacientes ou profissionais, mas também serve ao propósito de conscientização da sociedade.


A endometriose é uma doença benigna que pode ser definida pela presença de tecido que se assemelha à glândula e/ou estroma endometrial fora do útero, predominantemente na pelve feminina.


Apesar do diagnóstico precoce ser de extrema importância para a promoção de uma melhor qualidade de vida da paciente, a média estimada atualmente no Brasil entre o início dos sintomas e o diagnóstico final é de 7 anos. Portanto, a necessidade de a própria paciente conhecer os sinais é muito alta.


Dessa forma, são os principais sintomas: Dor crônica na pelve; Alterações intestinais com possível sangramento nas fezes; Alterações urinárias com possível sangramento na urina e infecções durante o período menstrual; Infertilidade.


O diagnóstico, apesar de ter início com um exame físico satisfatório, deve contar com o auxílio de outros exames para a sua confirmação. O ultrassom pélvico e transvaginal com preparo intestinal e ressonância magnética com protocolos especializados, são os principais métodos por imagem para a detecção da endometriose.


O tratamento para endometriose pode ocorrer tanto de forma clínica quanto cirúrgica. O tratamento clínico medicamentoso por meio de progestagênios é eficaz no controle da dor pélvica e deve ser a principal escolha na ausência de indicações cirúrgicas. Seu principal objetivo é aliviar os sintomas de dor e melhorar a qualidade de vida, contudo, não se espera que ocorra uma diminuição das lesões ou a cura da doença, mas sim um controle no quadro clinico.


Já o tratamento cirúrgico deve ser escolhido uma vez que o clínico for ineficaz ou contraindicado por alguma razão específica. O principal objetivo da cirurgia é a retirada completa de todos os focos de endometriose, restaurando a anatomia “normal” e preservando a função reprodutiva, sendo preferencialmente executada por video-olaparoscopia.


É importante relembrar também que existe uma severa associação entre a endometriose e a infertilidade, de forma que alguns estudos sugerem uma prevalência de 25% a 50% de infertilidade em mulheres com endometriose, e que 30% a 50% das mulheres com endometriose apresentam infertilidade.


Apesar da doença ser benigna, a mesma causa prejuízos à qualidade de vida das pacientes, tanto na esfera física quanto psicológica. Sendo assim é de suma importância que os órgãos competentes criem campanhas de alerta não apenas quanto à existência da endometriose, mas também como reconhecer seus principais sinais e sintomas. Dessa forma, é esperado também uma diminuição no tempo para diagnóstico, promovendo a melhor qualidade de vida possível para estas mulheres.

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo