Buscar

Setembro Mês Mundial de Prevenção ao Suicídio


Setembro é o mês mundial de prevenção ao suicídio. Além das campanhas durante o mês, também existe o dia mundial de prevenção ao mesmo (10 de setembro), com o objetivo de intensificação das ações.


O suicídio é um acontecimento complexo, pois pode ter inúmeras causas e afetar indivíduos das mais diversas nacionalidades, idades e classes sociais. Segundo a OMS, mais de 800 mil pessoas morrem por suicídio todos os anos, e para cada pessoa que morre, outras 20 atentam contra a própria vida.


Apesar dos dados alarmantes, é necessário dizer que o suicídio tem prevenção. Não existe uma “receita” para se identificar alguém prestes a cometer o ato, mas estar atento a alguns sinais (em si mesmo e em outros) e saber como agir, pode ajudar a salvar muitas vidas.


São alguns sinais de que o indivíduo está enfrentando uma crise suicida:

- O aparecimento ou agravamento de manifestações verbais como: “vou desaparecer”, “Vou deixar vocês em paz”, “eu queria poder dormir e nunca mais acordar”, “é inútil fazer algo para mudar” não devem ser interpretadas como chantagens emocionais ou como ameaças, e sim como sinais de alerta para um perigo real.

- Preocupação com sua própria morte ou falta de esperança: pessoas que se encontram em risco costumam falar sobre morte e suicídio de maneira mais frequente, confessam estar sem esperança, culpadas, com baixa autoestima e visão negativa da vida e futuro. Essa manifestação pode ocorrer de maneira escrita, verbal ou por meio de desenhos.

- Isolamento: pessoas com intenções suicidas podem se isolar, não interagindo em redes sociais ou atendendo a telefonemas, ficando fechadas em casa, sempre evitando atividades sociais.


Fatores como: perda de emprego, problemas financeiros, discriminação, agressões psicológicas e/ou físicas, sofrimento no trabalho, conflitos familiares, perda de um ente querido, doenças crônicas, entre outros, também são importantes agentes que vulnerabilizam e podem levar ao estado suicida.


Ao identificar tais sinais e fatores (em si mesmo ou em outros) é importante saber como agir e onde pedir ajuda.


Ao se deparar com um individuo com risco de suicídio, deve-se:

- Encontrar um momento e local apropriados para falar sobre o assunto com a pessoa em questão, deixando claro que você está lá para ouvir e oferecer apoio

- Incentivar o indivíduo a procurar ajuda profissional nos serviços de saúde, e se oferecer para acompanhá-lo se necessário.

- Se você achar que a pessoa está em perigo imediato e pode cometer suicídio a qualquer momento, não a deixe sozinha. Procure ajuda profissional e entre em contato com alguém de confiança da própria pessoa.

- Se o indivíduo com quem você está preocupado mora com você, certifique-se de que ele não tenha acesso a meios de provocar a própria morte como: armas de fogo, medicamentos, pesticidas etc.

- Mantenha-se em contato para acompanhar como a pessoa está passando e o que ela anda fazendo


Mas se você é quem se encontra neste difícil momento, é importante saber que não há problema em pedir ajuda. Por mais difícil que seja saber o que fazer para superar tais pensamentos e sentimentos, ainda existe esperança, ainda existe ajuda.


A ajuda para si mesmo ou para outros pode ser encontrada em: CAPs e unidades básicas de saúde, UPAs, SAMU (192), pronto socorro e hospitais.


Outro serviço importante é o Centro de Valorização da vida (CVV) que realizam apoio emocional de maneira voluntária e gratuita para todas as pessoas que precisam e querem conversar, tudo feito sob total sigilo, seja por telefone (188), email, Skype, chat, entre outros. O serviço é 24 horas e podem ser obtidas mais informações no site: www.cvv.org.br.

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Hepatites

Alergia