Buscar

Dia do Solteiro e os perigos para a saúde


No dia 15 de agosto é comemorado o dia do solteiro, e quando este tema é relacionado à saúde é impossível não esbarrar nas infecções sexualmente transmissíveis, seus tratamentos e prevenções.


O período em que as campanhas sobre o assunto são intensificadas é o carnaval, entretanto, este assunto deveria estar em alta a todo momento, uma vez que os dados do ministério da saúde são no mínimo alarmantes.


Segundo o ministério, apenas 56,6% dos brasileiros entre 15 e 24 anos usam preservativo com parceiros eventuais, o que é preocupante já que o uso da camisinha pode evitar todas as principais ISTs.


As principais Infecções Sexualmente Transmissíveis são:


HIV/Aids

O HIV (Vírus da imunodeficiência humana) é o causador da Aids, ele ataca o sistema imunológico e o deixa extremamente prejudicado. No Brasil a doença é considerada estabilizada, entretanto seu avanço tem sido preocupante.

Segundo o ministério da saúde, aproximadamente 112 mil brasileiros têm a doença e não sabem, e cerca de 260 mil vivem com a doença, mas não se tratam.

Estes fatos, aliados ao baixo índice de uso do preservativo resultam em dados como os da última década, indicando que a relação de contágio entre jovens de 15 a 19 anos passou de 2,8 casos por 100 mil habitantes, para 5,8 casos.

Atualmente, cerca de 827 mil pessoas vivem com HIV no Brasil. O tratamento é contínuo, controla a doença e garante sobrevida aos infectados, mas infelizmente ainda não há cura. O principal ainda é a prevenção por meio do uso de preservativo.


Sífilis

A sífilis é transmitida pela bactéria Treponema Pallidum, e pode ser transmitida por relações sexuais ou da gestante para o bebê. Seus sintomas são: feridas na região genital e manchas no corpo que podem parecer uma alergia.

Seu tratamento é realizado gratuitamente na rede pública de saúde com o uso da penicilina. Entretanto, um dos maiores problemas é que seus sintomas podem passar desapercebidos no começo, o que podem levar a um diagnóstico tardio, e elevada transmissão durante o período.

Para as gestantes, a sífilis pode causar má formação do feto, surdez, cegueira e deficiência mental.

Apesar de ter cura é uma doença altamente contagiosa e prejudicial, que pode ser prevenida com o uso do preservativo.


HPV

O papilomavírus humano se manifesta por meio de verrugas que podem aparecer no pênis, vagina, vulva, ânus, boca, garganta ou colo do útero. O sexo é a principal forma de transmissão, seja ele em forma de coito ou oral.

A principal preocupação sobre o HPV é o potencial que o vírus tem de causar câncer, principalmente no colo do útero e no ânus. O tratamento da infecção é medicamentoso, e sua prevenção incluí vacinas para meninos entre 12 e 13 anos e meninas entre 9 e 13 anos. Contudo o uso do preservativo é sempre extremamente indicado e também previne o acontecimento da doença.


Gonorreia

A doença é causada pela bactéria Neisseria gonorrhoeae, que infecta principalmente a uretra.

Os sintomas mais comuns são: presença de corrimento na região genital, dor ou ardor ao urinar, dor ou sangramento durante relação sexual, e nos homens, dor nos testículos. Contudo, a maioria das mulheres infectadas não apresenta sintomas, mas ainda assim continua transmitindo o vírus.

O tratamento é feito com antibióticos e deve ser compartilhado pelo parceiro, mesmo não apresentando sintomas. Se a infecção não for tratada pode atingir órgãos tais como os testículos, útero e trompas, chegando até mesmo a causar infertilidade.

A prevenção como sempre é o uso do preservativo.


Herpes Genital

Transmitida durante relações sexuais, o vírus da herpes tem como principais sintomas pequenas bolhas e lesões região genital. Tais feridas geralmente são acompanhadas de ardor, coceira, dor ao urinar e até mesmo febre. Além do incômodo, as lesões podem facilitar a entrada de outras Infecções sexualmente transmissíveis.

Herpes não tem cura e seus sintomas tendem a reaparecer em vários momentos durante a vida, quando a imunidade está baixa. A Única forma de prevenção é o uso de preservativo.


A maioria das pessoas acaba desprezando o uso do preservativo, pois muitas vezes utilizam métodos contraceptivos hormonais ou algo parecido. Entretanto, por mais seguros que estes métodos sejam para prevenirem uma gravidez, eles não previnem IST’s. Dessa forma, o método mais seguro é sempre aliar a forma de contracepção utilizada ao preservativo. Somente assim para se estar realmente seguro durante relações sexuais.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Hepatites

Alergia